VAMOS PARTICIPAR DAS OFICINAS?

14/09/2015 by

Vai participar das oficinas? Já pesquisou qual mais te interessa em nosso site? Abaixo seguem informações detalhadas sobre algumas oficinas e o material necessário que você deverá trazer:

no. Autor Instituição Título Síntese O cursista deverá trazer:
22 de setembro
4: INTERDISCIPLINARIDADE
1160 FABIO MARCHIORETO

Instituto de Cinesiologia Humana de São Paulo

O MOVIMENTAR-SE NA ESCOLA: UMA POSSIBILIDADE DE ORGANIZAÇÃO CURRICULAR INTERDISCIPLINAR Objetiva apresentar uma experiência para discutir o problema da fragmentação curricular e apresentar algumas possibilidades para organizar um projeto interdisciplinar ao interligar biologia e cultura através do movimentar-se do ser humano na escola de Ensino Fundamental Trazer seus dispositivos móveis pessoais: Notebook pessoal , tablet  celular smartphone
1219 SIMONE MOURA ANDRIOLI DE CASTRO ANDRADE, FÁTIMA APARECIDA ARANTES SARDINHA, ANA MARIA RUIZ TOMAZONI PUCSP VIVÊNCIA INTERDISCIPLINAR DO CUIDAR E NUTRIR COM CONSCIÊNCIA Objetiva oferecer uma vivência interdisciplinar que possibilite autoconhecimento e desenvolvimento pessoal aos educadores e demais participantes, estimulando ao trabalho interdisciplinar, cuja essência é o movimento que convida às mudanças, reformas e aos desafios, e permite abrir um canal importante e essencial para o autoconhecimento.

O autocuidado é apresentado como a primeira gentileza que devemos ter conosco (com a alimentação, com o corpo, com a mente, dentre outros pontos apresentados) e a partir deste encontro consigo, propiciar o encontro com o outro e então promover a qualidade de vida, que é individual antes de ser coletiva. Serão experienciados pontos estratégicos para este fim: a identificação de quem sou; o que devo transformar; a busca de atitudes e ações que estejam em consonância com o autocuidado, com a essência que vai eclodir no conhecimento de si mesmo.

Cadernos para anotações.

5: NOVAS TECNOLOGIAS EM EDUCAÇÃO

1039 ELI LOPES DA SILVA, MANOELA ALBERTONI SILVEIRA, NÁDIA HENEDI LEMOS SIMÃO Faculdade de Tecnologia SENAC Florianópolis

Grupo CAPTE – Centro de Apoio às Práticas com Tecnologias na Educação

CONSTRUÇÃO DE WEBQUEST Objetiva apresentar como se constrói  uma webquest.

Cada participante criará e postará uma webquest portal com  o conteúdo relacionado à sua disciplina e tema a sua escolha.

Trazer uma ideia de uma tarefa extraclasse que costuma propor aos seus alunos (com referencial teórico da tarefa, forma de avaliação e indicações de materiais – on-line ou impressos) para que possa construir uma webquest que poderá fazer uso futuramente.
1134 LÍGIA DE ASSIS MONTEIRO FONTANA IBTA – Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada LIVRO DIGITAL ANIMADO – #MONTE A SUA HISTÓRIA Objetiva utilizar as ferramentas que temos do nosso cotidiano para montar animações nos livros digitais. Muitas vezes em escolas publicas ou colégios de pequeno porte da rede privada, temos apenas o pacote Office como alternativa de trabalho.

Como realizar um trabalho efetivo e eficaz com este material? Como criar OA? . De acordo com as evoluções tecnológicas podemos nos adaptar, mas o importante é o conhecimento da técnica.

Livro infantil

Será entregue uma apostila e indicações de bibliografias sobre as temáticas trabalhadas

Inscrição nas oficinas

14/09/2015 by

Não se esqueça!

A taxa de inscrição no evento (seja você autor ou ouvinte) dá direito a participação nas Oficinas, ou seja, não é preciso fazer um novo pagamento!

Confira todas as Oficinas e já faça sua inscrição:

  • Construção de webquest
  • Atividade de campo para análise de elementos simbólicos da paisagem – centro da cidade de São Paulo
  • Mapas mentais, mapas conceituais e infográficos
  • Livro digital animado – #monte a sua história
  • O movimentar-se na escola: uma possibilidade de organização curricular interdisciplinar
  • Recriando a educação no século XXI: uma vivência de design thinking
  • Vivência interdisciplinar do cuidar e nutrir com consciência
  • O uso da plataforma fábrica de aplicativos para dispositivos móveis
  • Ambientes virtuais de aprendizagem (AVA) baseados em hipermídia educativa, a multiplicidade de linguagens aproveitadas para os processos de formativos
  • Competências para coempreender com as TIC
  • Visual Storytelling e o Instagram: potenciais para práticas pedagógicas
  • Design de educação digital: projetar num contexto híbrido e multimodal
  • Interação, acessibilidade e aprendizagem com Makey Makey, kinnect, arduíno e Scratch
  • Criação de jogos educativos e de entretenimento com a linguagem de programação Scratch e o software Power Point tendo como formadores crianças e adolescentes
  • A formação docente em foco: pensando a prática com a ajuda da arte
  • Usando na prática recursos tecnológicos disponíveis

JÁ FEZ SUA INSCRIÇÃO? NÃO DEIXE PARA ÚLTIMA HORA!

13/09/2015 by

Pessoal, o evento está chegando e muitos ainda não realizaram suas inscrições! Não deixem de participar! Será um evento excelente e contará com a presença de excelentes palestrantes, além de inúmeras oficinas!

Vai perder?

Confira e clique aqui!

OFICINAS IMPERDÍVEIS!!!

11/09/2015 by

Não percam as oficinas que o evento terá! Todas são muito interessantes. Para participar, basta se inscrever no evento e realizar o pagamento da taxa de inscrição. Vejam só alguns temas:

DATA: 23 de setembro

Horário: 10 as 13h Laboratório 13

TEMA: CURRÍCULO E TDICS: POSSIBILIDADES DE CONSTRUÇÃO DO WEB CURRÍCULO A PARTIR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS ASSOCIADAS AO GOOGLE EARTH”

DATA: 22 de setembro

Horário: a definir

TEMA: CONSTRUÇÃO DE WEBQUEST

CORRAM E SE INSCREVAM! AINDA DÁ TEMPO! —–>  CLIQUE AQUI!

PAGAMENTOS NÃO EFETUADOS PARA O EVENTO

10/09/2015 by

Pessoal, o evento está chegando e muitos ainda não realizaram o pagamento das inscrições.

Ressaltamos que é de extrema importância que tudo esteja quitado para que os certificados sejam emitidos.

Dúvidas, entrem em contato com nossa equipe!

Esperamos por vocês!

As inscrições ainda estão abertas!

09/09/2015 by

O prazo para submissões de trabalhos terminou, mas ainda dá tempo de se inscrever como ouvinte.

Serão 20 palestrantes de diversas áreas, apresentação de trabalhos e oferecimento de oficinas, com muita discussão, reflexão e troca de experiências!

Faça já sua inscrição e venha comemorar conosco os 40 anos do Programa de Educação: Currículo da PUC-SP!!

CONFERÊNCIA| Currículo e narrativas digitais: caminhos da investigação ao longo de 25 anos

07/09/2015 by

ATENÇÃO PESSOAL!!!
Não percam hoje, palestra, às 14:30h (10:30h, no horário de Brasília), na Univ do Minho com a Professora Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida

CLIQUE AQUI!

CONFERÊNCIA| Currículo e narrativas digitais: caminhos da investigação ao longo de 25 anos

Data: 7 de setembro, 2015
Hora: 14:30
Local: Anfiteatro Multimédia do Instituto de Educação

Oradora: Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil

Entrada livre

Nota biográfica

Professora associada da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), atua no Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo, da Faculdade de Educação, tendo exercido a coordenação desse programa de 2009 a 2013, líder do grupo de pesquisa Formação de Educadores com suporte em meio digital. Possui doutorado em Educação: Currículo, pela PUC-SP (2000), com pós-doutorado no Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho, Portugal (2008) e Mestrado em Educação: Currículo, pela PUC-SP (1996). Licenciada e Bacharel em Matemática pela UNESP (1973). É pesquisadora do CNPq (Bolsa Produtividade PQ 1D), membro do Comitê Nacional de Assessoramento ao CNPq na área de Educação (2014 -2017), atualmente desenvolve o projeto Integração de Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Básica. Coordenou a pesquisa O currículo da escola do século XXI integração das TIC ao currículo, concluída em 2013 (MCT/CNPq/CAPES/MEC), em parceria entre PUC-SP, UFG e UFT, tendo investigado escolas participantes do Projeto UCA. É consultora ad hoc da CAPES, FAPESP e de outros órgãos de fomento, membro do corpo editorial da Revista e-curriculum, parecerista de periódicos. Organizou diversos dossiês de revistas científicas. Temas de estudos: currículo e tecnologias, formação de professores, políticas de TIC na educação, educação a distância.

Acessem!

1º Lista de Trabalhos Aprovados

06/08/2015 by

Prezados participantes do IV Seminário Web Currículo e XII Encontro de Pesquisadores em Web Currículo!

Publicamos a 1º lista de aprovados: http://www.pucsp.br/webcurriculo/inscricoes.html…

Aguardem que em breve publicaremos a 2º lista.

ATENÇÃO! CONCURSO ABERTO PARA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA!

28/07/2015 by

São vagas para muitas áreas! Acessem:

http://www.uel.br/prorh/index.php?content=selecao%2Fconcdoc%2F079_2015%2Findex.php

3 CASOS DE ESCOLAS QUE COLOCARAM O ENSINO HÍBRIDO EM PRÁTICA

21/07/2015 by

Uma revolução na aprendizagem. Esse é o propósito das instituições de ensino que passam a combinar o aprendizado online com o

offline, fazendo com que o aluno mescle o estudo por meio virtual, em que ele é o protagonista de sua aprendizagem, com o formato presencial, que valoriza a interação com o professor e os colegas. Esse método é conhecido como ensino híbrido ou blended learning (a expressão em inglês se assemelha mais a ‘aprendizado mesclado).  

O ensino híbrido já está consolidado como uma das tendências mais importantes da educação do século 21. Com o grande leque de possibilidades hibrido-homeaberto pela tecnologia, a proposta é a de que os alunos passem a ver mais sentido no conteúdo apresentado, tenham acesso a um processo de ensino personalizado, sejam estimulados a pensar criticamente, a trabalhar em grupo e a desenvolver a autonomia nos estudos.

Mas, se uma escola segue o modelo tradicional de ensino, como inovar e colocar em prática o ensino híbrido? Diversas escolas no Brasil e no mundo seguem essa tendência. Abaixo, listaremos três casos de escolas que já praticam esse modelo de ensino.

1. ESCOLA PÚBLICA BURNETT ELEMENTARY, NA CALIFÓRNIA, ESTADOS UNIDOS

Uma sala de aula diferente. É o que proporciona a professora Alison Elizondo, da escola pública Burnett Elementary, na Califórnia, para os alunos do 4º ano do ensino fundamental. Alison desenvolveu um programa de ensino híbrido chamado We ❤ 2 Learn (Nós amamos aprender, em tradução livre), que utiliza plataformas online para subverter a rotina da sala de aula e colocar o aluno no centro do processo de aprendizagem. A professora divide as aulas em cinco etapas de 25 minutos e vai rotacionando as atividades, de maneira que todos os alunos passem pelos diferentes estágios.

As quatro primeiras etapas são referentes a conteúdo e, a última, à reflexão. A primeira delas é realizada com o apoio de plataformas adaptativas, como a Khan Academy. A segunda tem como foco o currículo base, em que os alunos, divididos em grupos, criam e resolvem problemas baseados nos conteúdos obrigatórios. Em seguida, eles fazem uma aplicação prática do problema, tentando aproximá-lo de suas vidas cotidianas e propondo uma solução para aquela situação. Depois, produzem vídeos tutoriais de como lidaram com os desafios, como forma de instrução para os outros grupos. Por último, eles refletem sobre o que aprenderam, no que tiveram sucesso e o que precisa ser trabalhado, e a professora decide como pode ajudá-los.

2. SUMMIT, ESTADOS UNIDOS

No ano letivo de 2012/2013, a Summit começou a testar um modelo de ensino híbrido para a disciplina de matemática. Abandonou as formações tradicionais de sala de aula e organização por séries e passou a adotar salões e salas para trabalhos em grupo, além de várias ferramentas tecnológicas que permitiram que os educadores e os próprios alunos tivessem acesso a dados que mostravam onde cada um estava e o que faltava para alcançarem metas individuais. O modelo fez tanto sucesso que no ano seguinte foi expandido para todas as disciplinas.

Os alunos se sentam em grandes salões, cada um com seu notebook, e trabalham em planos individuais de aprendizagem. Nos planos, eles definem metas do que vão aprender e desenham roteiros para alcançar tais objetivos. Por meio do aprendizado baseado em projetos, os alunos da Summit têm a oportunidade de ver funcionar na prática tudo ao que tiveram acesso anteriormente na teoria e, com isso, consolidam um aprendizado mais profundo e significativo. Após todas as etapas, os alunos se dedicam a um momento de leitura, também mediado pela tecnologia. Com o auxílio de um leitor de livros digitais, os professores conseguem inserir vídeos, testes e perguntas nos textos com os quais os alunos estão trabalhando.

3. GINÁSIO EXPERIMENTAL CARIOCA, NO RIO DE JANEIRO

Muitas vezes, as aulas de ciências e matemáticas do 7.º ano de algumas escolas dos Ginásios Experimentais Cariocas, rede de escolas inovadoras criada pela prefeitura do Rio em 2011, acontecem juntas, em ambientes interdisciplinares criados pelas professoras. Com o que aprendem no curso Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação, da Fundação Lemann, as professoras têm experimentado levar o modelo de rotação por estações para sala de aula.

Na primeira estação, são trabalhados conteúdos de matemática e ciências. Na segunda, elas organizam perguntas com conteúdos mesclados de reino animal e números decimais. Um colega desafia o outro com duas questões. Nas estações três e quatro, os alunos têm acesso a computadores com atividades que as professoras adaptam da Educopédia, acervo que roda no Geekie Lab, plataforma adaptativa online da Geekie usada pelarede municipal do Rio.

Uma quinta estação fica disponível para quem terminar as atividades antes do tempo previsto. Nela, os alunos podem optar por colocar um crachá de monitor e circular pela sala para ajudar colegas ou ler revistas de ciências. As professoras percorrem todas as estações, mas preferem não intervir muito e, sim, deixar que os estudantes busquem as respostas com os colegas ou com outros recursos disponíveis.

Com as referências acima, conseguimos mostrar como escolas adotaram práticas inovadoras usando o ensino híbrido. No entanto, para que isso ocorra, os professores, o coordenador pedagógico e o diretor devem estar profundamente envolvidos no processo – ou seja, é importante que as ideias sejam construídas por esses gestores e educadores, e não impostas a eles.

É necessário tentar, arriscar, para inovar. E você, acha que sua escola está preparada para esse boom de inovação? Compartilhe conosco!

Fonte: http://info.geekie.com.br/3-casos-de-escolas-que-colocaram-o-ensino-hibrido-em-pratica/?utm_source=info-geekie&utm_medium=post+&utm_campaign=AWR-FB&utm_term=ensino-hibrido&utm_content=3-casos-de-escolas-que-colocaram-o-ensino-hibrido-em-pratica


%d blogueiros gostam disto: